Background estratégico garante o sucesso dos sistemas ERP

Não é comum encontrar relatos sobre os desafios por parte dos fabricantes e/ou consultores de software. Em geral, as plataformas [ERP] atendem seus respectivos nichos e podem ser integradas com as demais ferramentas da empresa. Mas o que garante o sucesso da implantação da tecnologia?

 

Atualmente, os sistemas de gestão empresarial (Enterprise Resource Planning - ERP) são responsáveis por facilitar todas as operações de uma empresa, desde o faturamento até o balanço contábil, de compras a fluxo de caixa, de apuração de impostos à administração RH, de inventário de estoque ao controle do maquinário da fábrica. Em suma, a ferramenta auxilia toda operação administrativa e operacional da empresa.

 

Na retaguarda, há um arsenal de equipamentos e suprimentos que "dão vida" ao novo contexto de gestão. Além de computadores, periféricos como impressoras, sensores, leitores de código de barras, por exemplo, são tecnologias que contribuem para agilidade no atendimento dos públicos/clientes, além de assegurar precisão e velocidade na coleta de dados que podem alimentar o ERP ou não.

 

O principal benefício dos sistemas integrados de gestão (ERP) consiste na otimização dos processos e ganho de produtividade, além de potencializar os recursos humanos, evitar desperdício de matéria-prima, por exemplo. Automatizar uma empresa vai além da tecnologia e implantação de um sistema gerencial e demanda, principalmente, empenho estratégico durante o processo de automação.

 

Mas o que garante o sucesso da automação?

A implantação do sistema ERP, se bem definida a solução, se selecionado o fornecedor de ERP correto para o segmento, mapeado processos, gerido conflitos na gestão de mudanças e efetivado o treinamento aos usuários, em muitos casos será um sucesso, mas logo em seguida surgem os problemas que geralmente resultam em desgaste emocional, quebra de contrato e afins. Muitas vezes os problemas têm origem interna - o que não isenta responsabilidade por parte do fornecedor. Sem a participação proativa do cliente gestor e respectivos funcionários não será possível ter um sistema 100% operante conforme as necessidades da empresa. O processo requer um padrinho que garanta o andamento e funcionamento de toda tecnologia adquirida. 

 

“Segundo Roney Franco, gerente operacional da Fassoaste, o cliente é quem obrigatoriamente deve cadastrar as informações no sistema ERP. Se o consultor solicitar cadastro de todos os produtos no prazo "X" e o cliente não executar a tarefa, a responsabilidade passa a ser do cliente. O sistema não funciona sem as informações necessárias. O fornecedor precisa de que a ferramenta seja alimentada para que ele possa implementar os ajustes necessários para que o ERP atenda processos e regras estratégicas do negócio”.

 

Portanto, o sucesso de automação de qualquer empresa demanda tanto de retaguarda (infraestrutura composta por computadores, periféricos, etiquetas) e frente de loja (sistema, caixas, etc), como também compromisso humano - principalmente por parte do cliente. Se o background for estratégico e sincronizado entre as partes, certamente você obterá sucesso no trabalho. Afinal, rotinas operacionais e gestão caminham juntos e sustentam o negócio.

 

Fonte: Portal ERP

 

06/06/2014
ShareThisLinkedInGoogle +
linha-cortepag

Outras notícias