Estudo do Seade analisa o setor paulista de software e serviços

Estudo da Fundação Seade, publicado no boletim Primeira Análise nº 14, identifica, no Estado de São Paulo, os principais polos e municípios onde é relevante a presença do setor de software e serviços de tecnologia da informação e telecomunicações, bem como as especificidades dos segmentos em cada um deles. São apresentadas, também, as características da mão de obra neste setor, com perfil de escolaridade e aspectos relacionados às principais ocupações, além de cursos de ensino superior a elas associados.
 
Nos últimos anos, o setor de serviços de tecnologia da informação e comunicações, no Brasil, tem crescido a um ritmo muito superior ao do Produto Interno Bruto – PIB do país. Em 2013, por exemplo, enquanto o PIB nacional aumentou a uma taxa de 2,3%, o setor avançou 5,3%. Nesse cenário, o Estado de São Paulo destaca-se como o mais importante polo nacional do setor.
 
De acordo com os dados, a análise da evolução do setor, entre 2008 e 2012, mostra que se intensificou, na capital, a concentração de algumas atividades selecionadas, em um aparente movimento de especialização. Os dois segmentos que tiveram crescimento mais expressivo na participação do total dos empregos, nesse período, foram: desenvolvimento de programas de computador sob encomenda, que passou de 46,6% para 62,1%; e consultoria em tecnologia da informação, que aumentou de 44,8% para 54,6%. Em relação ao número de empresas, enquanto o primeiro segmento manteve-se estável, o segundo ampliou sua participação de 50,2% para 57,9%.
 
O papel de polo hegemônico exercido pela cidade de São Paulo explica-se, em parte, pela oferta no município de todos os serviços necessários para o funcionamento das empresas, com larga e diversificada rede de suporte à concepção, comercialização, promoção e distribuição de produtos. Mas sua centralidade pode ser justificada, também, pela presença de uma série de vantagens competitivas que a RMSP oferece: moderna infraestrutura de transportes, telecomunicações e tecnologia da informação; mão de obra qualificada; desenvolvido setor de serviços às empresas; e proximidade de grandes mercados consumidores. Somam-se a isso uma ampla rede de escolas profissionalizantes e diversas instituições de ensino superior, algumas com reconhecimento internacional, além de muitos centros de pesquisa e laboratórios com produção em várias áreas do conhecimento.
 
Empresas de Software
 
Dentro do setor, o subgrupo de software apresentava, no Estado de São Paulo, uma distribuição espacialmente localizada e respondia, em 2012, por 40% do total dos empregos do segmento no Estado. O município de São Paulo destacava-se como seu principal polo, com 46% das pessoas ocupadas nesta atividade. Essa expressiva participação concentrava-se nas atividades de desenvolvimento de programas de computador sob encomenda e consultoria em tecnologia da informação, que agregavam, em conjunto, por 65,7 mil empregos, 31% do setor de software e serviços de tecnologia da informação e telecomunicações. A importância do polo de software paulistano também pode ser aferida pelo porte de suas empresas: das 25 empresas com mais de 500 pessoas ocupadas localizadas no Estado, 19 estavam na cidade de São Paulo.
 
Os destaques no Interior de São Paulo
 
O subgrupo de software também sobressai em outras localidades do Estado. A RM de Campinas é reconhecida no cenário nacional como um importante polo de tecnologia, perdendo em importância apenas para a RMSP. A análise dos empregos gerados no segmento de software na RM de Campinas, entre 2008 e 2012, mostra a consolidação dessa região como centro de desenvolvimento de programas de computador sob encomenda e desenvolvimento e licenciamento de programas de computador customizáveis. As empresas de grande porte especializadas no desenvolvimento de programas de computador sob encomenda, instaladas em Jaguariúna e Americana, somadas àquelas localizadas no município de Campinas, formam o segundo maior contingente de pessoas ocupadas nessa atividade no Estado de São Paulo.
 
São José dos Campos e Ribeirão Preto destacaram-se, entre 2008 e 2012, como potenciais polos de tecnologia da informação em um horizonte próximo. Nesse período, a participação das atividades de desenvolvimento de programas de computador sob encomenda e desenvolvimento e licenciamento de programas de computador customizáveis no total do município de São José dos Campos, aumentou, respectivamente, de 7,8% para 17,2% e de 4,4% para 10,0%. Em termos absolutos, esses empregos ampliaram-se de 145 para 804. Já em Ribeirão Preto, no mesmo período, a participação das atividades de desenvolvimento e licenciamento de programas de computador customizáveis cresceu de 15,3% para 35,4% do total desses empregos no município, passando de 126 para 808 pessoas ocupadas.
 
Elevado nível de instrução dos trabalhadores
 
Pelo estudo, as empresas do setor de software e serviços de tecnologia da informação e telecomunicações destacam-se pelo elevado nível de instrução de seus trabalhadores. Em 2012, enquanto graduados e pós-graduados representavam 18,8% do total dos empregos no Estado de São Paulo, no setor essa presença chegou a 47,4%. Os segmentos com maior participação de trabalhadores com esse perfil na relação com o total dos empregos nos municípios selecionados foram os de consultoria em tecnologia da informação (68,9%), telecomunicações por fio (68,3%) e desenvolvimento de programas de computador sob encomenda (61,1%).
 
Setor público gera mais oportunidades de emprego 
 
Vale ressaltar que, entre 2008 e 2012, a taxa de crescimento das vagas ofertadas nos cursos selecionados foi bem superior nas instituições públicas (93,6%) do que nas privadas (32,2%). Embora a oferta de vagas nos cursos selecionados tenha tido elevação maior nas instituições públicas federais no Estado de São Paulo, este avanço foi concentrado, principalmente, no aumento de vagas no curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas.  Já na rede pública estadual, também com importante taxa de crescimento na oferta de vagas, além do avanço no curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas, houve ainda crescimento da oferta do curso de Ciência da Computação. Além disso, houve a criação de novos cursos voltados para o setor: Administração de Redes, Bancos de Dados, Engenharia de Computação, Tecnologia em Desenvolvimento de Softwares e Uso da Internet. Clique aqui para acessar o estudo.

 

Fonte: Portal ABES

17/07/2014
ShareThisLinkedInGoogle +
linha-cortepag

Outras notícias